Yom Teruá (Dia do toque do Shofar)

31/05/2015 11:50

 

"Semelhantemente, tereis santa convocação no sétimo mês, no primeiro dia do mês; nenhum trabalho servil fareis; será para vós dia de tocar o Shofar" - Números 25:1.
 
O Yom Teruá é uma festa caracterizada especialmente pela mitzvá (mandamento) de tocar o Shofar (Trombeta) e acontece no 1º dia do sétimo mês bíblico, “Etanim - I Reis 8:2” (conhecido tradicionalmente como Tishrêi).
 
Nessa data é tradicionalmente comemorado também o “Rosh Hashaná” (Cabeça do Ano), o ano novo civil judaico.
 
Os dez dias entre Rosh HaShaná e Yom Kipur é considerado pela tradição como “Aseret Yemei Teshuva” (dez dias de arrependimento). Durante este período os Judeus praticam Teshuvá (arrependimento - retorno), a qual consiste em examinar as suas próprias ações e arrepender-se dos erros cometidos contra D'us e contra o próximo, em antecipação ao Yom Kippur.
 
O Judaísmo ortodoxo celebra dois dias de Rosh Hashaná, tanto em Israel como na Diáspora. Os dois dias juntos são considerados como um único "dia longo". Algumas comunidades reformistas celebram apenas um dia.
 
Existem textos bíblicos que tornam razoavelmente aceitável a idéia de que “Yom Teruá” (Dia do Toque do Shofar) é uma festa profética que aponta para o dia em que o Messias retornará a terra, com seus anjos tocando suas trombetas, convocando os escolhidos dos quatro cantos da terra: “E ele enviará os seus anjos com rijo clamor de trombeta, os quais ajuntarão os seus escolhidos desde os quatro ventos, de uma à outra extremidade dos céus” - Mateus 24:31.
“E será naquele dia que o SENHOR debulhará seus cereais desde as correntes do rio, até ao rio do Egito; e vós, ó filhos de Israel, sereis colhidos um a um. E será naquele dia que se tocará uma grande trombeta, e os que andavam perdidos pela terra da Assíria, e os que foram desterrados para a terra do Egito, tornarão a vir, e adorarão ao SENHOR no monte santo em Jerusalém” Isaías 27:12-13.
É possível que Zacarias 12:10-14 esteja referindo-se ao Yom Kipur seguinte a este Yom Teruá, onde muitos, dentre todas as tribos de Israel, que ainda não houverem reconhecido Yeshua como o Messias verdadeiro, render-se-ão a Ele, suplicando perdão, havendo então conseqüente purificação: “Naquele dia haverá uma fonte aberta para a casa de Davi, e para os habitantes de Jerusalém, para purificação do pecado e da imundícia” Zacarias 13:1.
Então, os sobreviventes das nações unir-se-ão aos santos que foram ajuntados e todos celebrarão juntos a Festa dos Tabernáculos (Sucôt), Zacarias 14:16.