Quem Somos                                                                 

A Moréshet Yeshua, cujo nome significa "Herança de Yeshua (Jesus)", é uma Congregação Judaico-Messiânica, localizada em Salvador-Bahia, composta por descendentes de judeus e não-judeus que creem ser Yeshua o Messias, Salvador de Israel e de toda a humanidade. Somos filiados ao CCJM – Conselho das Congregações Judaico-Messiânicas do Brasil e recebemos cobertura espiritual do Ministério Ensinando de Sião – Brasil, que por sua vez é filiado ao Netivyah Bible Instruction Ministry, com sede em Jerusalém – Israel. Ambos reconhecidos pela UMJC - Union of Messianic Jewish Congregations (União das Congregações Judaico Messiânicas - EUA). Buscamos uma fé alicerçada na doutrina dos apóstolos de Yeshua, a qual estava profundamente enraizada nos fundamentos do Tanach (Torá/Pentateuco, Profetas e Escritos). Cremos que tais fundamentos, além de não haverem sido anulados pela fé em Yeshua (Rm 3:31), contribuem tremendamente para a qualificação do exercício dessa fé.

                                                                                                                        

Parashá Devarim (Palavras) 44ª Porção da Torá

Devarim/Deuteronômio 1:1-3:22

Haftará: Isaias 1:1-27

Brit HaDashá: 

Atos 7:51-8:4/Hebreus 3:7-4:13

 

O Livro de Devarim é uma espécie de síntese dos primeiros quatro livros da Torá.

Por isso é chamado também de “Mishneh Torah” (Repetição da Torá).

 

Originalmente (na língua hebraica) é chamado de Devarim, que significa Palavras. O título "Deuteronômio" tem origem na palavra grega “Deutronomion”, dado por ocasião da tradução da Torá para a língua grega (Septuaginta) e, por ser uma repetição dos quatro primeiros livros tem o significado de "Segunda Lei".

Por que a Torá (Pentateuco), muitas vezes repete as instruções do Criador, ao ponto de quase um livro inteiro ser formado por repetições?

Não lembro onde, mas certa vez li em algum lugar o seguinte texto:

“A consciência humana é como um relógio despertador; podemos dar atenção ao alarme e acordarmos para algo que ela acusa está errado, ou podemos simplesmente apertar o botão “Soneca” e voltar a dormir. Quantas vezes ouvimos coisas que realmente nos inspira, mas que apenas alguns dias depois as lições e inspirações simplesmente desaparecem da nossa cabeça”.  

 

Sabendo disso Adonai foi bem repetitivo, ao ponto de alguns textos até parecerem dramáticos; mas o que Ele queria mesmo era evitar o sofrimento do seu povo.

Infelizmente, por não dar a devida atenção aos alertas do bondoso Pai, o sofrimento veio em diversos momentos da história e, muitas vezes, as palavras descritas a seguir foram uma realidade na vida de muitos dos nossos antepassados:

 

Deuteronômio 28

58 - Se não tiveres cuidado de guardar todas as palavras desta lei, que estão escritas neste livro, para temeres este nome glorioso e temível, O SENHOR TEU D’US,

 

63-66 - E será que, assim como o SENHOR se deleitava em vós, em fazer-vos bem e multiplicar-vos, assim o SENHOR se deleitará em destruir-vos e consumir-vos; e desarraigados sereis da terra a qual passais a possuir. E o SENHOR vos espalhará entre todos os povos, desde uma extremidade da terra até à outra; e ali servireis a outros deuses que não conheceste, nem tu nem teus pais; ao pau e à pedra. E nem ainda entre estas nações descansarás, nem a planta de teu pé terá repouso; porquanto o SENHOR ali te dará coração agitado, e desfalecimento de olhos, e desmaio da alma. E a tua vida, como em suspenso, estará diante de ti; e estremecerás de noite e de dia, e não crerás na tua própria vida.


O Shabat desta semana coincide com o Tishá BeAv (9 de Av) - 13 de Agosto de 2016.

(Obs.: Por coincidir com o Shabat o jejum é transferido para o dia seguinte).

 

Esta data lembra dois dos mais trágicos eventos da História Judaica que ocorreram em 9 de Av: A destruição do primeiro Templo pelos babilónicos em 586 A.E.C. e a do Segundo Templo, no ano 70 E.C. pelos romanos.

(Este último acontecimento foi diretamente profetizado por Yeshua aos seus discípulos - Mateus 24:2).

.

Conta a tradição que, além desses, muitos outros desastres vieram sobre o povo judeu no dia 9 de Av, tanto em Israel como na Diáspora.

- O episódio dos doze espias, dizendo que não poderiam conquistar a Terra Prometida por D’us.

- A destruição do exército de Simão Bar Kochba no ano 135 E.C. pelos romanos.

- A expulsão dos judeus da Inglaterra em 1290 e da Espanha em 1490.

A probabilidade matemática desses eventos se repetirem por acaso sobre uma nação, no mesmo dia, em anos diferentes, é muito pequena. Isso demonstra que as palavras lidas acima (Dt 28) foram cumpridas (Mt. 5:18).

Diante dessa realidade uma pergunta fica no ar: Se o Judaísmo rabínico tradicional, com todo o seu rigor, tem agradado ao Eterno por que então Ele permitiu tanto sofrimento e perseguição durante 1880 anos? (68 E.C. - cerco de Jerusalém, até 1948 - fim da diáspora).

 

Antes de alertar sobre o sofrimento que poderia vir por desobediência Ele mesmo disse:

“O SENHOR entregará, feridos diante de ti, os teus inimigos, que se levantarem contra ti; por um caminho sairão contra ti, mas por sete caminhos fugirão da tua presença” (Deuteronômio 28:7).

 

Adonai foi injusto com o seu povo? 

Se a resposta for não (e não pode ser outra!) há algo errado com o povo.

 

Não quero como isso ferir a ninguém, mas sim fazer um DESABAFO (ou PEDIDO) aos meus irmãos que tiveram a oportunidade de nascer num lar não assimilado e frequentar uma sinagoga desde criança e que consideram-nos – descendentes de marranos, cristãos novos e judeus crentes em Yeshua - como sendo de segunda categoria, ou até mesmo, falsos judeus:

Se a vossa forma de andar nos caminhos de HaShem, considerada bem mais aperfeiçoada do que a nossa, não foi capaz de desviar o que está escrito (Dt 28.63-66), reflitam sobre suas maneiras de  pensar em relação a nós e nos aceitem como irmãos, para que juntos possamos voltar ao que, DE FATO, agrada a Adonai!

 

No amor do Messias Yeshua!

José Edivaldo

 

Clique aqui para ler outras Parashiôt.