Quem Somos                                                                 

A Moréshet Yeshua, cujo nome significa "Herança de Yeshua (Jesus)", é uma Congregação Judaico-Messiânica, localizada em Salvador-Bahia, composta por descendentes de judeus e não-judeus que creem ser Yeshua o Messias, Salvador de Israel e de toda a humanidade. Somos filiados ao CCJM – Conselho das Congregações Judaico-Messiânicas do Brasil e recebemos cobertura espiritual do Ministério Ensinando de Sião – Brasil, que por sua vez é filiado ao Netivyah Bible Instruction Ministry, com sede em Jerusalém – Israel. Ambos reconhecidos pela UMJC - Union of Messianic Jewish Congregations (União das Congregações Judaico Messiânicas - EUA). Buscamos uma fé alicerçada na doutrina dos apóstolos de Yeshua, a qual estava profundamente enraizada nos fundamentos do Tanach (Torá/Pentateuco, Profetas e Escritos). Cremos que tais fundamentos, além de não haverem sido anulados pela fé em Yeshua (Rm 3:31), contribuem tremendamente para a qualificação do exercício dessa fé.

                                                                                                                        

 

 

 

 

 

 

Parashá Shoftim – Juízes.

Por Rosh Jaime Araújo 

Richmond - EUA, 09 de Setembro de 2016.

 

Torá – D’varim/Deuteronômio 16:18 a 21:9.

Haftará –Yeshaiahu/ Isaías 51:12 a 52:12.

B’rit Hadashá (N. Aliança) – Mateus 3:1 a 17

 

Esta Parashá começa tratando das características necessárias para os juízes. O Eterno D´us de Israel teve que encucar na cabeça do povo daquela época, os princípios básicos para a existência de uma sociedade justa, correta, livre dos malefícios naturais do ser humano e erradicar um pecado que foi o maior problema para os Israelitas do passado: a idolatria.

Bem, nós crentes da Nova Aliança (Novo Testamento), temos mais condições intelectuais e culturais de dizer que não somos idólatras, mas quero levantar uma questão aqui que encontra-se no versículo 21 do capítulo 16 de D’varim/Deuterionômio: “Não estabelecerás poste-ídolo, plantando qualquer árvore junto ao altar do Senhor teu D’us.” (BVN)

E, a minha questão é: Como podem os crentes usar árvore de Natal? Vejo em muitos templos mundo a fora, grandes e pequenas, ricas e pobres árvores de Natal enfeitando os altares e disputando a atenção com as liturgias e cerimonias durante os cultos. Não é isso um tipo de idolatria? A Bíblia condena uma coisa e o povo acha uma maneira de quebrar este mandamento, usando subterfugio, vindo de uma tradição criada no século 16 na Alemanha. Sim, parece uma coisa ingênua, mas totalmente fora da Bíblia. Então os filhos de Israel, no deserto, eram idólatras, certo? E os crentes hoje?

Agora, trarei outro assunto muito pertinente nesta Parashá:

“Perfeito serás para com o Senhor teu D’us” (Deut.18:13, ESV).

De acordo com a maioria dos comentaristas, a palavra chave para este versículo, “Perfeito”. É um adjetivo, muito utilizado no livro de D’varim (Deuteronômio), para descrever tanto as ofertas que as pessoas traziam, quanto aos sacerdotes que ofereciam os sacrifícios. Ela vem da raiz - para completar, acabamento; para ser concluída, acabou; para ser perfeito, íntegro - e é variavelmente traduzida como "completo, perfeito, pleno, sem mancha ou defeito, na posição vertical" (Davidson). Ou ainda é traduzida como separado, autentico, puro, consagrado, santificado.

 

Clique aqui para continuar lendo